O tratamento da documentação cadastral dos clientes das instituições financeiras tem dominado a atenção do segmento bancário. A prioridade do assunto foi estabelecida pela Resolução 4.480 do Banco Central, que normatizou a abertura e o fechamento de contas online, eliminando a necessidade de arquivar fisicamente inúmeros documentos, acompanhada da Resolução 4.474 que trata da digitalização dos cadastros de clientes com conta tradicional. Com isto, os bancos podem reduzir um volume astronômico de cadastros acumulados em caixas e mais caixas.

De acordo com a Revista do CIAB 2017 (Congresso Internacional de Automação Bancária) o mercado brasileiro atingiu 940 mil clientes que transacionam em contas totalmente digitais. Parece pouco, mas este total corresponde a apenas 4 bancos (BB, Itaú Unibanco, Original e Intermedium).Ou seja, grandes players como CEF, Bradesco e Santander estão fora desta conta.

Em 27 de abril a Febraban apresentou ao mercado uma prova de conceito (POC) com o uso de blockchain para o compartilhamento de cadastro entre 03 instituições financeiras. O sucesso da POC estimulou a ampliação deste teste, desta vez envolvendo todas as instituições participantes do Comitê de Inovação da entidade. É esperar para ver.

Se quiser saber como funciona este cadastro unificado em blockchainclique aqui e confira nosso post a respeito.

Anúncios